Eventos - 16/05/2014

R Geração – Parte 2

No sábado (19/04), dentre as atividades que ocorreram, estavam:

Design Para Quem

Fernando dos Santos

Nesse workshop, Fernando mostrou aos encontristas a importância de conhecer o usuário que está sujeito ao trabalho do designer e como atingir essas pessoas. Ele mostrou quais são as palavras mais usadas durante um projeto, e qual a relevância delas, e logo após entrou no tópico “subjetividade – como se aproximar do usuário” falando sobre a particularidade de cada pessoa e como o designer pode entender o consumidor do seu produto.

Falando primeiramente de como o ser humano é induzido a pensar e como essa forma de pensar mudou com o decorrer do tempo, passando desde a idade média, até os tempos modernos, segundo Fernando, a ideia de subjetividade foi fixada apenas durante os séculos 19 e 20, por filósofos como Marx, Nietzsche e Freud. E como bibliografia, indicou aos participantes o livro “Psicologias – Uma Introdução ao Estudo de Psicologia”, de Ana Bock, Odair Furtado e Maria Trassi.

A Batalha do Apocalipse

Leandro Nascimento

Leandro Nascimento, recém formado em Design Gráfico pela UFRJ, exibiu o trabalho que realizou para seu TCC: uma adaptação do prólogo do livro “A Batalha do Apocalipse” em forma de um curta animado 3d. Como introdução, ele deu a definição de adaptação para melhor entendimento de seu trabalho e, durante sua explicação, disse que um dos principais motivos para que seja feita a adaptação de alguma obra seria para motivar pessoas a lerem o livro, além de cativar um novo público.

Primeiro, demonstrou como elaborou o storyboard de sua adaptação, procurando inspiração por fora e fazendo mudanças que achou necessárias para seu curta. Logo de início, Leandro falou sobre a importância de pesquisar referências para seu trabalho, e como e porquê se deve fazer alterações, como, no seu caso, nas silhuetas, armaduras, construções e personagens. Finalizando, ele mostrou um making-of de seu processo, incluindo como a captura de movimento foi utilizada para a cena de combate, dublagem, modelagem, rigging e, finalmente, o curta em si.

Formação Acadêmica e a Realidade Profissional do Designer Brasileiro

Fernando dos Santos

Baseado em seu trabalho final da faculdade, Fernando apresentou seu workshop com o intuito de mostrar para todos primeiramente o que é design e, em seguida, como é a realidade vivida por todos os designers brasileiros e o que eles tem de enfrentar todos os dias. Para isso, ele apresentou uma visão do design tradicional e do design atual, a desmaterialização do design e também conceitos de design por diversos pontos de vista, assim como diversas visões do que um designer faz.

Continuando sua apresentação, ele mostrou uma entrevista que fez com diversos profissionais de todo o país sobre como se preparar para o mercado brasileiro e sobre como as faculdades preparam o designer. A apresentação gerou um debate em que os participantes discutiram sobre como o design é generalizado e o designer cada vez menos valorizado. Terminando com o conceito de sensibilidade e como o designer deve saber lidar com diferentes áreas, absorver informações e transformar tudo isso em um projeto.

Veja também: Parte 1 e Parte 3